A Verdeira História da Casa Mal Assombrada de "Invocação do Mal"




Com o novo fenômeno das transmissões ao vivo proporcionadas pela quarentena, não poderia faltar uma live para os amantes de terror! Por isso, entre os dias 8 e 16 de maio, a The Dark Zone Network irá fazer transmissões ao vivo de dentro de uma das casas mais assombradas dos Estado Unidos: a casa que inspirou o filme "Invocação do Mal (2013)". 

"Invocação do Mal" é um filme de 2013 dirigido por James Wan que deu origem à uma franquia assustadora e popular no cinema de terror. O primeiro longa da franquia conta a história de um casal e suas 5 filhas, que se mudam para uma casa em uma fazenda localizada em Harrisville, Rhode Island. À medida de fenômenos estranhos começam a acontecer na casa, o casal Ed e Lorraine Warren - renomados demonologistas - interveem para ajudar a família em apuros.

Um dos fatores que mais atraem atenção no filme é o fato dele ser baseado em fatos reais. Porém, em muitos filmes como "O Exorcismo de Emily Rose", sabemos que a verdadeira história é modificada para adequar-se em frente às câmeras. Portanto, qual é a verdadeira história da casa mal assombrada de Invocação do Mal e da família que inspirou o longa?

A família Perron

Em 1971, Carolyn e Roger Perron se mudaram junto com suas 5 filhas para Harrisville, Rhode Island. Acomodados em uma propriedade de 81 mil m² chamada de Fazenda Arnold, a casa contava com 14 quartos e havia sido construída em 1736.

A verdadeira casa que inspirou "Invocação do Mal"


Imediatamente depois que se mudaram, a família começou a perceber acontecimentos estranhos na casa. Começaram levemente, com Carolyn notando vassouras desaparecendo, se mexendo sozinhas e montes de poeira se acumulando na cozinha. Enquanto isso, as filhas ouviam ruídos no assoalho da cozinha e relataram terem avistado espíritos pela casa.

No começo, os espíritos vistos eram relatados como "poucos sólidos" e "opacos". Alguns eram até gentis, deixavam cheiros de flores pela casa e davam beijos de boa noite nas crianças. Um dos espíritos, apelidado pelas meninas como Manny, era querido por elas e sua atividade preferida era ficar as observando brincar, sorrindo e parada em um canto.


A cozinha da Fazenda Arnold em 1971


Entretanto, nem todos os espíritos mostravam-se inofensivos como Manny. A família relatou que presenciaram cama, telefones e vários outros objetos levitando, batidas brutas na porta da frente e puxões de perna e cabelo durante a noite. Dentre todos os espíritos presentes na casa, o que mais era temido pela família era o de Bathsheba Sherman.

Quem foi Bathsheba Sherman?

Ao perceber os acontecimentos estranhos na casa, Carolyn pesquisou o passado da casa. Em seus estudos, a matriarca da família Perron descobriu que a Fazenda Arnold pertenceu a mesma família por oito gerações, e em que todas elas aconteceram mortes inexplicáveis e horrorosas no local. Algumas crianças se afogaram no lago próximo, alguns se enforcaram no porão e outras foram assassinadas. Já Bathsheba Sherman se enforcou em uma das árvores atrás do celeiro da propriedade.

A Família Perron

Bathsheba Sherman realmente existiu e foi residente da Fazenda Arnold em meados dos anos 1800. Nascida em Rode Island e casada com Judson Sherman, a vida de Bathsheba foi descrita como solitária e conturbada. Haviam rumores de que Bathsheba era satanista e estava envolvida com o assassinato de uma criança da vizinhança, mas nada nunca foi comprovado. Além disso, a mulher também era conhecida por torturar, esfomear e hostilizar seus funcionários de maneira agressiva.

Para a família Perron, o espírito que os atormentava era o de Bathsheba pois ela se considerava a matriarca da casa e se sentia ameaçada por Carolyn, que ocupava o seu lugar naquele momento. Apesar de odiar Carolyn, o espírito amava Roger. Enquanto acariciava e era inofensiva com o Sr. Perron, com sua mulher Bathsheba praticava torturas e agressões.

De acordo com Andrea Perron, uma das 5 filhas, muitas vezes a família presenciava fortes cheiros de peixe apodrecido e camas flutuando longe do chão. Além disso, o Sr. Perron relatava que sentia uma presença fria e grudenta atrás dele toda vez que visitava o porão, por isso evitada ir àquela parte da casa. Porém, como o aquecedor quebrava de forma constante e misteriosa, ele sempre era obrigado à retornar ao andar debaixo.

Após inúmeras tentativas falhas de expulsar a Sra. Perron da casa, Bathsheba tentou possuir seu corpo. A partir da percepção da família sobre a possessão da mãe, os mesmos chamaram Ed e Lorraine Warren, famosos demonologistas da época, para interviram no caso.

O envolvimento dos Warren

Pelos mais de 10 anos que a família Perron morou na Fazenda Arnold, Ed e Lorraine Warren prestaram inúmeras visitas para investigar a casa. Em uma das visitas, Lorraine - considerada uma grande médium - realizou uma sessão para tentar entrar em contato com os espíritos da casa. Durante essa sessão, Carolyn Perron apresentou sinais de possessão, falando em uma língua irreconhecível e levitando do chão em sua cadeira.

Após essa sessão, Roger Perron dispensou os Warren do serviço alegando preocupação com a saúde da esposa. Ao contrário do que é mostrado no filme, o casal Warren não conseguiu livrar Carolyn e a família da possessão. A família Perron continuou a viver na casa até 1980, ano em que conseguiram dinheiro suficiente para se mudarem. Durante os anos que continuaram morando lá, os fenômenos paranormais foram diminuindo, até cessarem completamente.


Ed e Lorraine Warren


A casa atualmente

Atualmente, a casa palco de inúmeras mortes e mistérios é propriedade de Cory e Jennifer Heinzen, casal investigador de fenômenos paranormais. Para o jornal Sun Jornal, Cory relatou que já presenciou portas abrindo sozinhas, barulhos estranhos e passos nos corredores.



Cory e Jennifer Heizen



Embora tenham presenciados fenômenos paranormais, o casal e sua família são fascinados pela propriedade, dizendo terem se apaixonado pelo grande espaço, pelo lago no fundo e pela serenidade do local. A família planeja restaurar a casa e, futuramente, transformá-la em um local de passeios paranormais.

E aí, o que você achou dessa história? Tão assustadora quanto a do filme? Compartilhe nas suas redes sociais e com seus amigos que gostam da franquia de Invocação do Mal!


0 Comentários

Contact Form (Do not remove it)